Imagens das obras no Castelão, em Fortaleza, feitas de um aeromodelo. Demais!

SIGA NO TWITTER

Dica da revista Placar  já postada pelo antenado FUT POP CLUBE. Confiram o trailer da série de televisão francesa “Os Rebeldes do Futebol”, lançada este ano. São cinco episódios com histórias de jogadores que se destacaram por sua atuação política. Entre os personagens estão Eric Cantona, Didier Drogba, Carlos Caszely e o nosso doutor Sócrates. A série e um filme de 90 minutos condensado devem ser veiculados na tv brasileira em breve. No aguardo.

SIGA NO TWITTER 

Confira o vídeo sobre o futuro estádio do Peñarol apresentado oficialmente nesta sexta 28-09, data em que o clube completou 121 anos.

SIGA NO TWITTER

Estrela solitária

Frio, chuva e Neymar perdendo pênalti. Parecia repeteco da primeira decisão da Recopa, em Santiago. Nesta quarta, porém, a atuação do craque santista não chamou a atenção apenas por um escorregão. Com o golaço no primeiro tempo, ele decidiu outra vez. Até aí, rotina. Por isso, como no Chile, suas escorregadas é que surpreendem.

O astro santista entrou em campo com a faixa de capitão. Na ausência de Edu Dracena, contundido, a braçadeira ficava com Léo, mais velho e vitorioso atleta do elenco. O lateral admitiu ter ficado chateado. Na coletiva de imprensa, Muricy Ramalho afirmou ter atendido a um pedido do próprio Neymar. Trocar o capitão numa final, se realmente atendeu apenas a pedido do atleta é, no mínimo, raro.

Outra atitude um tanto individualista do craque foi sua comemoração do título. Uma solitária volta olímpica (como se vê no vídeo abaixo), atraindo as câmeras somente para si. Depois recebeu o prêmio de melhor em campo, isso sim de mérito indiscutível.

E, para encerrar, graças à faixa de capitão, foi o primeiro a receber a taça de campeão no palco vermelho, cheio de logos do Santander, banco que patrocina a Recopa, o próprio Neymar, e que tem um membro no comitê de gestão do Santos. O que começou perecendo uma reprise do jogo de ida terminou mais para um comercial.

Dorval, astro do famoso ataque santista nos anos 60 (Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe), enfrentou o frio para prestigiar o Santos no Pacaembu

SIGA NO TWITTER

Espetacular campanha da Puma realizada neste domingo no jogo entre Botafogo e Corinthians. Para promover a estreia da camisa dourada, 11 botafoguenses receberam um convite para assistir à partida no camarote. Mas quando eles chegaram ao Engenhão, a surpresa era muitíssimo melhor. Confiram no vídeo.

SIGA NO TWITTER

Ação publicitária da Zurich Seguros na partida entre Palmeiras e Santos, no Pacaembu, pelo Campeonato Brasileiro. Criativa.

SIGA NO TWITTER

Mancha, o retorno

Após cinco meses proibida de entrar uniformizada nos estádios paulistas, a Mancha Verde voltou neste sábado, no Pacaembu. Retorno, inclusive, saudado via sistema de som do estádio durante o intervalo. Mas o incentivo extra da arquibancada não ajudou o time a passar de um 0 a 0 contra um Grêmio com dez jogadores desde o primeiro tempo. Grêmio dos desafetos Luxemburgo e Kleber (o expulso), obviamente “homenageados” pela organizada (vídeo abaixo). A Mancha ficou afastada por conta de uma briga contra corintianos, em março, quando um palmeirense morreu baleado.

A torcida do Grêmio, numerosa, ficou espremida no setor de visitante. Não há razão para a PM não liberar inteiramente esse espaço quando fecha o tobogã, como neste sábado. Com o tobogã vazio não há risco de conflito entre os rivais. Por que  manter os visitantes apertados? Isso sim pode gerar confusão.

SIGA NO TWITTER

Cara ou coroa

É normal, o torcedor costuma procurar culpados pelas derrotas de seu time. Já o santista, não mais. Execra Paulo Henrique Ganso sumariamente. Se o meia, em litígio com o clube, faz ou não por merecer pouco importa. Nesta quarta foi chamado de mercenário e alvo de chuva de moedas após o revés alvinegro contra o Bahia, na Vila. Pelo que jogou, diga-se, não mereceu a represália.

Ao final do jogo Muricy Ramalho pediu aos jogadores que saíssem juntos de campo, antevendo a cólera da massa contra seu 10. Mas o próprio Ganso não se preocupou. Desgarrou-se do grupo que o amparava para atender à imprensa antes de descer ao vestiário. Pediu pra levar moeda na cabeça.

Na coletiva, Muricy voltou a defendê-lo. Disse aos repórteres que Ganso atuou bem, que não se escondeu da partida e coisa e tal. Em vão. O problema é que a discussão não é mais essa. A paciência da galera com o jogador acabou. Logo, o melhor que ele faz é seguir atrás das moedas que julga merecer.

SIGA NO TWITTER

Chuva, frio e café

1- O principal desfalque santista veio da arquibancada. Três ônibus da Torcida Jovem não conseguiram chegar ao estádio, em Santiago, por conta de uma volumosa (e incomum) chuva, que interditou a estrada entre a Argentina e o Chile. Tiveram de ver o jogo em Mendoza.

2-  Os que conseguiram chegar foram impedidos pelos carabineros de estender a faixa da organizada, sob alegação de estar atrapalhando a visão. Não estava.

3- No estádio (belo e confortável, diga-se) não é permitido vender cerveja. Como no Brasil. O diferente é que, pelo menos no setor de visitante, também não vendem água, refrigerante ou qualquer outro líquido. Exceto café.

4- Ao final do jogo, os santistas ficaram retidos na arquibancada por uma meia hora enquanto os locais deixavam as imediações do estádio. Também como no Brasil. Durante a espera, porém, os banheiros foram trancados.

5 – A caminho da cancha, o trânsito estava caótico em Santiago. Lembrou o paulistano. Mas não, nesse caso nada tornou a situação chilena pior do que a nossa.

6 – Também circulam genéricos dos nossos flanelinhas pelo entorno do Estádio Nacional de Santiago. Mas é fácil evitá-los. Há vagas de estacionamento dentro do estádio pelo equivalente a 4 reais.

7 – E os problemas climáticos continuaram. Choveu durante quase toda a partida. Molhados, com 5 graus, não foi moleza.

Vídeo e mais fotos abaixo.

SIGA NO TWITTER

Quem você ama mais, sua mulher ou seu clube?

Sua mulher reclama de você dar mais atenção a seu time do coração do que a ela? Já perdeu minutos preciosos de jogos com esse tipo de discussão? Se a resposta é sim, a próxima questão é: ela tem razão? Calma, não responda ainda. Já existe método científico para dirimir tal dúvida.

Em parceria com a Universidade de Bristol, na Inglaterra, a Puma elaborou uma pesquisa com torcedores do Newcastle sobre a relação entre o sentimento pelo seu clube e por sua amada. Foram feitos testes físicos e psicológicos com os torcedores ingleses.

Confira no vídeo abaixo, vale a pena. O trabalho é sério, conduzido por dois professores da universidade. O resultado completo será divulgado em breve. E  clique aqui caso queira submeter-se à versão rápida do teste (sete perguntinhas) para poder, enfim, saber quem tá com a razão.

SIGA NO TWITTER

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: